Voltar para a Página Inicial

Melão Pele de Sapo

O Melão é originário da África Central, com vários centros de diversificação secundários, tais como a Turquia, Arábia Saudita, Irão, Rússia, Índia e mesmo a Península Ibérica. A partir da África Central, o melão disseminou-se pelo Médio Oriente e pela Ásia Central. Esta cultura era cultivada pelos Egipcíos desde 2000 a 2700 a.C., assim como na Mesopotânia, e por volta de 1000 a.C. no Irão e na Índia. A cultura de melões foi introduzida na Europa pelos romanos mas não era muito apreciada, estando ausente da dieta medieval em toda a Europa à excepção da Península Ibérica onde foi introduzida e mantida pelos Árabes. No séc. XV um tipo de melão trazido da Arménia foi difundido pela Europa.

O melão foi introduzido na América no séc. XV. por Colombo. Era considerado um produto de luxo nos anos 1950 na Europa, tendo o seu consumo e a sua produção desenvolvido de forma significativa desde a década de 1960 com a melhoria das técnicas culturais e o aparecimento de novas cultivares.

Descrição: Planta herbácea, anual, com sistema radicular aprumado. Os caules do meloeiro podem ter crescimento postrante ou trepador devido à presença de gavinhas, têm consistência herbácea, são de cor verde claro a verde médio e têm forma circular. As folhas são inteiras, lobuladas, subcordadas e pubescentes. A maioria das cultivares possui flores masculinas e flores hermafroditas na mesma planta. As flores masculinas dos melões formam-se em grupos de 3 a 5 flores no mesmo nó enquanto que as flores femininas encontram-se solitárias no nó. A corola é constituída por 5 pétalas de cor amarela soldadas na base. As sépalas encontram-se parcialmente soldadas. As flores abrem apenas uma vez de manhã. A polinização é entomófila (realizada por insectos). O fruto é um pepónio de forma variável (redondo, oval ou alongado), com cerca de 20 e 25 cm de diâmetro, a casca pode ser lisa, enrugada ou apresentando nervuras em forma de rede, e a cor varia desde o verde ao amarelo. A sua polpa também varia segundo o tipo de cultivar, havendo melões amarelados, esverdeados e esbranquiçados.

Sementeira: Geralmente, em Portugal, os meloeiros devem semear-se de Março a Maio em valeiras ou covachos onde, com certa antecedência, se enterrou estrume em grande abundância. As sementes de melão germinam lentamente à temperatura de 15Cº, sendo esta considerada a temperatura minima do solo para uma boa germinação. As temperaturas óptimas para germinação de sementes de melões situam-se entre os 24 a 35 Cº.

Artigo extraído do Crescer com Saúde – http://crescercomsaude.wordpress.com/2009/08/15/alimento-do-mes-agosto-melao-branco-do-ribatejo/